Postada em 21/08/2017
MAIS DIFICULDADES NAS NEGOCIAÇÕES COLETIVAS 2017

Estamos diante de um dos anos mais complexos para as negociações coletivas. A Reforma Trabalhista imposta pelo Governo Federal e votada a toque de caixa pelo Congresso Nacional, apesar de entrar em vigor somente em novembro, já causa dificuldades nas negociações deste ano. Nossas negociações coletivas tem por base a inflação medida pelo INPC (Índice Nacional de Preço ao Consumidor) e todos os anos conquistamos, além da reposição inflacionária um percentual de aumento real, porém neste momento o Governo mantém a inflação baixa utilizando de um processo recessivo que gera desemprego e estagnação econômica.

 

Para exemplificar, veja ao lado como o índice inflacionário vem sendo reduzido mês a mês neste ano.

Com isso as categorias que tem data-base em janeiro, por exemplo, tiveram reajuste superior a 5%. Da mesma forma as categorias com data-base em 1º de Agosto, tem como base um índice inflacionário de 2,07%. Considerando ser um índice muito baixo e sendo esta a proposta patronal, não finalizamos as negociações das categorias com data-base neste mês, como Contabilidade, Assessoramento, Advocacia, Cobrança, entre outras. A dificuldade também segue com as categorias da data base 1º de maio, como Comissários e Consignatários, (casas lotéricas), Arquitetura e Engenharia e Corretores de Imóveis. Várias rodadas de negociação já foram realizadas e seguimos na luta para poder garantir um reajuste salarial mais satisfatório e a manutenção dos benefícios conquistados. Já foram definidos as convenções coletivas de quatro categorias, Leasing, Representantes Comerciais, Video Locadoras e Comissário de Despachos, quanto as demais, assim que firmadas as convenções, divulgaremos de pronto aqui no site. Contamos com a sua mobilização e compreensão.

 

SEAAC 2017 - Todos os Direitos Reservados